TECIDO DE PALAVRAS

No embaraço dos fios
da trama da navalha insana
de quem sangra e ama
o fluir de algum rio
ora lânguido ora loquaz
ora ao mesmo tempo tudo
a desaguar em poesia.

Esther Alcântara

Um comentário:

eitasarau disse...

Oi Esther... gostaria de publicar esse seu poema no blog do Eita! Você autoriza? Marise Lopes