SOMBRA E LUZ

Sombra sem dono
abateu a cidade
na manhã
ainda com sono
e olhos de umidade.
*
Foi como se o dia
vestisse o hábito
da noite
ou como se o sol
saísse de seu hábitat.
*
Depois veio o milagre
em folia de luz
na tarde
despindo um tom alegre
da paleta de Deus.
*
Esther Alcântara
(poema e foto)
6/3/2009

2 comentários:

Eliete disse...

Aff!! 'num tom alegre... na palheta de Deus' !!!

não consigo tecer comentários!!

So beautifull!!

Leonardo B. disse...

[que alvo monge se escapa das mãos, das ruínas de palavra em contorno?]

um imenso abraço

Leonardo B.