INTERLÚDIO

Existe um intervalo

bem (ao) largo de mim
e além de você
em que acerto o tom.


Na primeira f(r)ase
sou luz de relâmpago
e você nem vê,
contempla o alarido.

Na f(r)ase que segue
sou câmara lenta
criança que dorme,
jamais marcha a ré.

No meio perco(rro)-me
pra depois me achar
sem demais suspiros
e me ultrapassar.

Esther Alcântara
29/03/2009




7 comentários:

escola enéas disse...

Oi Esther!
Jà li os poemas, ouvi as músicas e faltava escrever-lhe!
Parabéns!!!
Encontrei-a no orkut da 1ª IPI, olhei de relance, e achei a foto conhecida!(apesar de quase 20 anos- depois da 'Fundação Dom Aguirre').
Parabéns pela carreira!!!

SOC. DOS POETAS DE ARARIPE disse...

Esther,

Sua poesia possue uma coisa bem profunda sentimentalista gostei demais, meus parabens e continue assim.

um hiper bjo,
Acácio Silva

Luzia disse...

Oi Esther
Que belo poema! Parabéns! Seu blog é mesmo um tecido infinito de palavras...
Visite o meu blog e verá que fiz a mudança que você sugeriu.
Luzia

Jean disse...

Esther!
Wowwwww... adorei o seu Blog!
A parte dos poemas musicados me deixou de boca aberta!
Comecei recentemente a escrever um Blog! Estou morando na Italia, mais precisamente em Milao. Inspiraçao è o que nao falta!
Voce gostaria de conhecer?
www.tempolibero2009.wordpress.com
Se puder me dizer sua opiniao, agradeceria!
No mais, parabens novamente, vou te acompanhar!
Abraços

Andréa Motta disse...

Olá, Esther! Encontrei o link para seus blogs no Via6 e vim conhecê-los. Parabéns pela excelente qualidade de seus textos.

Vivi Crespo disse...

pasa por mi blog, te paso mi premio , pinchalo a la derecha y escribi si lo deseas
un beso

Iêda disse...

Oi,

Lindo poema!!
Adorei poder (re)ler de várias formas.

Abraços,